Hedy Iracema Brügelmann
Soprano

Nasceu no ano de 1879 em Porto Alegre.

Filha de imigrantes alemães, recebeu o nome de HEDWIG HÄNSEL. Casou-se com o diretor de banco Thedor Brügelmann. Fez seus estudos de canto no Conservatório de Colônia, na Alemanha, onde adotou o nome artístico de Hedy Iracema Brügelmann.

Voltou ao Brasil em 1904 e 1907, realizando recitais no Rio de Janeiro e outras cidades. Nessa época Alberto Nepomuceno dedicou-lhe a canção Ao Amanhecer.

Em 1910 estreiou na ópera, em Stuttgart, com Tannhäuser. Hedy era um soprano lírico-dramático e em seu repertório incluem-se: O Cavaleiro da Rosa, Mona Lisa, Aída, Um Baile de Máscaras, Otello, Parsifal, Lohengrin, O Navio Fantasma, Tosca, Carmen, Os Huguenotes, Martha, Ariadne e Naxos e Elektra. Apresentou-se, principalmente, nos teatros de Zurique, Viena, Berlim e Karlsruhe. Em 03 de outubro de 1013, em Stuttgart, interpretou Floria Tosca ao lado do célebre tenor Enrico Caruso.

Participou das temporadas líricas de 1914 e 1920 do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Em 1914 cantou Aída e Tosca (esta com Tito Schipa e Mario Sanmarco). Em setembro de 1920, Salvador Rosa, de Carlos Gomes, em récita de gala e com a presença do Presidente da República e do Rei da Bélgica. Hedy dividiu o palco com o tenor Francesco Merli e o barítono Carlo Galeffi, sob regência de Tulio Serafin.

Em 1926, em Karlsruhe, sofreu fratura de perna e quadril ao cair de escada durante uma apresentação. Hospitalizada por quase um ano não teve mais condições físicas para voltar aos palcos, passando a dedicar-se ao ensino do canto. Hedy Iracema Brügelmann veio a falecer em Karlsruhe em 1941.

Colaboração de Henrique Marques Porto, editor do site www.operasempre.com.br, e Regine Brügelmann, bisneta de Hedy.

Visite o site criado pela família: www.iracema-brugelmann.de/deutsch/neuigkeiten